21/04/2006

Penso que foi num Domingo!

Não posso precisar ao certo, penso que foi num Domingo. Lá fora tudo estava calmo, ganhei coragem e pela primeira vez saí à rua. E pela primeira vez um pensamento atravessou-me o espirito. Voltei para dentro e nunca mais lá voltei! Penso que foi num Domingo...

4 comentários:

Flanco disse...

Pudera....devias estar era com um broa jeitosa, era o que era! Y!

Ricardo L. disse...

santa ignorância! (sei que é uma redundância, mas não me apetece saltar desenfreadamente numa tese de doutoramento sobre a palavra penso! senão ainda parecia o outro com a cena do mirtilo!)

Anónimo disse...

O mordomo tem herpes. A Dona Amélia tem as mãos frias e o treinador apagou tudo o que estava escrito na lousa só para provar com quatro laivos de giz prensado que foi o Paulo Bento que deixou fugir o Jorginho. Tenho bastante pena do pelourinho que ficou sozinho. Suores frios! Comia agora um croissant, mas falaram-me mal deles. Vou continuar assim ao teu lado. Não te abraçarei porque tens complexos. Lembras-te do outro dia em que te ferrei a orelha? Nem sabes a felicidade de mais tarde a ver pendurada naquela parede morta. Não contive o riso quando a vi envolta na moldura em que costumavas guardar os retratos do teu corpo esguio! E o meu braço nele.
Lá fora já é dia, os deputados voltaram mas a trapalhada continua. Os cartões de crédito não funcionaram. Sem sol e sem choro continuarei a pé. Descerei as escadas sem medo. A porta fechava mal e por isso tirei-a. Vou comprar uma cortina. Alguém a abrirá quando for preciso. Recebi a nota do exame de português. Reprovei! O professor adicionou uma nota: “Demasiados erros ortográficos. Deve dar mais atenção à leitura. Evite o Teatro para crescer como um homem.”
Ouço soluços.

Palmilha Direita disse...

Se calhar é porque quando chega domingo fazemos tenção das coisas mais belas que um homem pode fazer na vida...