21/06/2015

O Teatro da Palmilha Dentada apresenta:

Muro

De 19 a 28 de Junho, de quarta a domingo, às 21h46, armazém 22
Rua de Guilherme Braga, n.º 22 (ao Cais de Gaia).
Reservas e informações pelo telefone 91 550 91 49, info@armazem22.pt

Maiores de 16 anos

Um momento reflexivo e analítico sobre as funções de um muro, da sua forma e da sua função social.

Dois solicitadores, representando a família dos Capuletos e a dos Montecchios, discutem em que termos é que as famílias poderão construir um muro na linha que separa as propriedades das duas famílias.

Príncipe – Senhores, têm noção da gravidade da situação? Um muro é um muro. Algo físico, determinante! Que determinará por gerações a nossa realidade. Não se erguem muros levianamente! Pensem senhores: as gerações que dos ventres Capuletos e Montecchios vejam luz, crescerão para sempre na sombra de um atroz muro, que ensombrará para sempre a sua percepção do mundo. Fica um mundo sombrio! Um qualquer Romeu Montecchio que venha a nascer e uma hipotética Julieta Capuleto crescerão na sombra desse malfadado muro, fadando para sempre o seu destino a uma vida de ódios e desconfianças. Um muro corta os olhares necessários para entender o outro.
Silencio curto de reflexão e aceitação.
Capuleto – Pois, mas a dama Capuleto é alérgica a cães
Montecchio – E a dama Montecchio adora, como a um filho, o ladino Ferrol.

Historial Palmilha Dentada

O Teatro da Palmilha Dentada existe desde de 2001. É uma companhia que aposta num elenco fixo – mantendo a mesma equipa desde a sua formação – e que leva a cena principalmente textos originais. Tendo estreado até à data 17 espectáculos de sala, soma também no seu curriculum diversos espectáculos de café teatro. O seu maior problema é o de não se levar a sério, transmitindo, muitas vezes ao público a ideia de que se divertem mais os actores no palco que o público na cadeira. Da mesma forma que escrevem os seus textos para não ter de pagar direitos de autor, também as músicas são sempre originais. A cenografia é regra geral escassa e pobre. Felizmente de bom gosto, mas infelizmente nem sempre tratada com o respeito que merece. A máquina de produção é débil o que muito fragiliza a estrutura, principalmente a nível de promoção e divulgação do seu trabalho. Curiosamente tem tido público, o que lhes tem permitido a existência com relativa impunidade.

29/10/2014


E lá vai a Palmilha por aí abaixo. Até Lisboa.
De 30 de Outubro a 30 de novembro, de quarta a domingo, na Sala estúdio do Teatro da Trindade oportunidade de ver 3 espectáculos diferentes: O "guardião do rio", "O medo que o General não tinha" e "O gene do corvo".

Informações e reservas 213 420 000 - bilheteira.trindade@inatel.pt



29/10/2013




"Empreendedoriza-te" é um espectáculo actual. Se os cristãos davam o peixe e lhe chamavam caridade, os marxistas queriam dar a cana de pesca e diziam que o importante era dominar os meios de produção, já os liberais apenas te ensinam o provérbio e chamam-lhe empreendedorização. O problema é que há muitas formas de te empreendedorizares, e numa época em que os discursos de quem governa são cada vez mais codificados, para que o português médio não perca o sono nem se suicide, impunha-se um guia para a sobrevivência no século XXI. Na tradição de “A arte de bem cavalgar toda a sela” e da “Carta de guia de casados”, a Palmilha Dentada, traz até si um teatro útil que lhe ensinará o essencial para viver feliz sem Xanax.

 O Teatro da Palmilha Dentada apresenta “Empreendedoriza-te”, um espectáculo, para maiores de 16, anos, com texto e encenação de Ricardo Alves e interpretação de Ivo Bastos, Nuno Preto e Rodrigo Santos. O espectáculo tem direcção plástica de Sandra Neves, figurinos de Inês Mariana Moitas, desenho de Luz de Pedro Vieira de Carvalho, fotografia de Julio Eme e direcção musical de Rodrigo Santos.

 “Empreendedoriza-te” estará em cena de 31 de Outubro a 24 Novembro, de terça a domingo, às 21h46, na Sala Estúdio Latino do Teatro Sá da Bandeira, no Porto. Informações e marcações pelo telefone 911 725 762. O espectáculo tem o preço de bilhete de 5 Euros. Desde de 2011 que, fruto da forte crise financeira que o país atravessa, a Palmilha Dentada optou por baixar o preço dos seus bilhetes porque os bens culturais não podem ser produtos de luxo. No entanto, e porque a crise não tocou a todos, quem quiser e puder pode optar por ser simpático e pagar 7,5 Euros.

09/07/2013


"É um cliché. Mas no fundo tudo é sempre um cliché. Ou vai ser. E a esperança é essa: criar um cliché novo. A primeira vez que alguém escorregou numa casca de banana foi algo de surpreendente, nunca visto, depois tornou-se normal, depois banal, foi cliché e agora é um clássico. Eu gosto de clássicos, dá um sempre um ar de erudição a citação de um clássico. Tem é que se ter cuidado para não ser precipitado. Citar um cliché é mau gosto, se for um clássico é de bom-tom. Temos sempre de esperar que o cliché se torne um clássico. E seja bom–tom."

Ricardo Alves in "O gene do corvo"

03/07/2013

Estreia dia 10 de Julho



"É sempre uma chatice quando os independentes se filiam. É como os miúdos que vão para a primeira classe sem nunca terem passado pelo jardim infantil. Um militante, que não militou na juventude partidária, é sempre um inadaptado a jogar um jogo que não percebe. Como é que se ensina a um miúdo de 6 anos, que nunca jogou às escondidas, o conceito do jogo? Para quem conhece o jogo é evidente que sair do jardim, onde se está a brincar, e ir esconder-se em casa, debaixo da cama, não é uma jogada válida. Mas quem nunca jogou às escondidas não percebe o limite formal do jogo: esconder-se onde possa ser encontrado."

Ricardo Alves in "O gene do corvo"

28/06/2013

No cinema São Jorge, dia 5 de Julho!

A Palmilha Dentada tem o prazer de participar no The Famous Humor Fest 2013. Aos nossos queridos amigos, da capital e arredores, endereçamos o convite para assistirem a uma das nossas últimas produções: "O medo que o General não tinha". Lembramos também que não nos responsabilizamos por qualquer dano moral causado por este espectáculo. Nós somos artistas e temos as nossas manias, no entanto, temos livro de reclamações. Apareçam e tragam amigos, se não gostarem cantem a Grândola... Abraços e beijinhos!

 
O medo que o general não tinha from Palmilha Dentada on Vimeo.

18/04/2013





Tragédia ensanguentada, história de amor à novela mexicana, drama musical, humor macabro, a pequenez moral da justiça popular e dos julgamentos em praça pública, a importância do presunto na vida dos seres humanos. Mais coisa, menos coisa... É... É isto!

10/04/2013

Habemus vencedores!



Terminado o concurso, resta-nos agradecer e dar os parabéns aos felizardos.


- Rui Pedro
- Claudia Sousa
- Neca
- João Rodrigues
- Rui P. Guimarães
- Maria João Moura


Por favor enviem um email para palmilhadentada@gmail.com e digam-nos o dia que desejam ir assistir!

07/04/2013

Passatempo oficial Palmilha Dentada

Participem e habilitem-se a uma das dez entradas duplas!




Cada um de nós tem o seu objecto de desejo. Por ele, somos capazes de cometer as acções mais loucas... ou não...! Enfim, por umas lascas de presunto há quem perca o norte e se esparrame em todas as direcções. O desafio que vos lançamos é que nos confessem qual o objecto do vosso desejo e o que eram capazes de fazer por ele. Deixem as vossas respostas nesta mensagem do blog e habilitem-se a entradas grátis. Sejam ambiciosos!

04/04/2013

03/04/2013

Recta final

Última semana no Armazém do Chá. Até Sexta dia 5 às 22:02.
Não apareçam e depois digam que "ah... e tal..."!
Beijinhos!


23/02/2013




Maria! Não Me Mates, Que Sou Tua Mãe!
Co-produção Teatro da Palmilha Dentada e Comédias do Minho
Texto de Ricardo Alves a partir de Camilo Castelo Branco
Encenação de Ricardo Alves
Direcção plástica de Sandra Neves
Figurinos de Inês Mariana Moitas
Direcção musical e direcção de actores de Rodrigo Santos
Interpretação Ivo Bastos, Mónica Tavares, Nuno Preto, Pedro Mendes, Tânia Almeida e Vasco Ferreira
Foto de Celeste Domingues
Maiores de 16 anos

Temporada no Minho até 24 de Março

Temporada no Porto de 11 de Abril a 5 de Maio
De quarta a Domingo às 21h46
Sala-estúdio Latino no Teatro Sá da Bandeira
Preço único de 5 euros preço simpático facultativo 7,5 euros
Marcações e informações 911 725 762

Sinopse
Um drama escrito por Camilo Castelo Branco, o primeiro autor português a viver exclusivamente da escrita. Um drama revisto numa época em que tão poucos conseguem viver da sua arte e que se procuram outras lógicas sustentáveis para a existência das artes em Portugal.
“Maria! Não me mates, que sou tua mãe!”, escrito em 1848, foi publicado de forma anónima. Camilo tinha apenas 24 anos, e com base num crime que aconteceu em Lisboa, escreve um texto terrivelmente sensacionalista, nitidamente inspirado na literatura de cordel, linear, moralista e básico na condenação que faz da presumida assassina, que afinal até estava inocente.
Trata-se portanto de um texto muito actual.

29/10/2012



Wokshop de construção de marionetas.

Formador:
Sandra Neves. 
Licenciada Escultura na FBAUP, colabora com o Teatro da Palmilha Dentada desde a sua criação em 2001, tendo assinado a cenografia e direcção plástica de várias produções.
Trabalhou na área da cenografia e adereços com  a Astro Fingido, Circolando, Lufa-Lufa, Teatro Art'imagem, Teatro Regional da Serra do Montemuro, Teatro Municipal da Guarda, Victor Hugo Pontes, Teatro Bruto, etc.
Na criação e construção de marionetas  destaca-se o trabalho desenvolvido com a Palmilha Dentada, Patrick Murys, Limite Zero, Mau Artista e Teatro da Rainha.

Duração
18 horas durante dois fins de semana.

Datas
Dezembro
Sábados 1 e 7 - 11h-13h e 14h-18h
Domingos 2 e 8 - 11h-13h
Horário: 
Sábado das 11h às 13h e das 14h às 18h
Domingo das  10h às 13h

Nr. de participantes: 
6 a 10

Público alvo: 
Todas as pessoas com gosto por bonecos e marionetas

Faixa etária:
Maiores de 15

Preço
75 Euros por participante - 25 Euros na inscrição e 50 na primeira aula. Este valor inclui todos os materiais de construção à excepção das roupas para vestir os bonecos.
NIB do Teatro da Palmilha Dentada - 0046 0101 0060 0159 1637 5
Banco Popular Conta 00600159163 75 


Plano do Curso
1º sábado - 1 de Dezembro - 11h-13h
- Demonstração teórica
  Breve passagem por vários exemplos desta técnica de marionetas.
  Processos nas várias fases de construção da marioneta.
  As possibilidades plásticas e mecânicas das diversas matérias. 
- Definir personagens.
- Definir a escala e a proporção da marioneta.

1º sábado - 1 de Dezembro - 14-18h
- A cabeça da marioneta:
  Construir a boca e a sua articulação adaptada à mão do manipulador.
  Esculpir a cabeça em esferovite ou poliuretano.

1º domingo - 2 de Dezembro - 10-13h
- A cabeça da marioneta:
  Esculpir a cabeça. aplicação de papel e cola. definição da expressão do personagem.
- O papel com cola fica em processo de secagem até ao fim de semana seguinte.

2º sábado - 7 de Dezembro - 11-13h
- A cabeça:
  Montagem e afinação da boca. pintura e aplicações.

2º sábado - 7 de Dezembro - 14-18h
- O corpo:
  Modelar o corpo com recurso a espumas e cabides de roupa.
  Ligar o corpo à cabeça.

2º domingo - 8 de Dezembro -   10-13h
- Vestir a marioneta e ajustar roupa à manipulação.
- Manipulação