18/04/2006

Carta de Intenções

É com incomensurável orgulho que inauguramos este espaço opinativo, criado sob a égide da Palmilha Dentada. “Inauguração?” (perguntam os caríssimos leitores) e eu respondo: inauguração é uma estreia, uma abertura formal de um espaço... e vocês interrompem-me e dizem “Não estúpido! Queremos dizer é que já foi inaugurado! Pelo Pop-up”. Meus amigos, aí é que se enganam... Um pop-up é algo que não podemos evitar, é um ser indesejado que se auto-proclama proprietário do espaço de outro. Um ditador da net. E depois não é só isso... um abajur ? Quem raio usa um abajur na cabeça ??? Não foi, quero crer, uma inauguração! E acreditem, ele vai andar por aí, a aparecer quando menos se espera.
Mas regressando às intenções... Local que se quer de debate digno e sustentado em argumentos responsáveis, “A Dentada da Palmilha” procurará ser, pelo menos no que a mim respeita (advirto desde já os caríssimos leitores que me escusarei a quaisquer responsabilidades pelos posts dos meus colegas), um nobre “receituário” de postura cívica com pitadas de espirituosidade. A crítica social, política e cultural que o Teatro da Palmilha Dentada tem levado a cabo ao longo dos anos nas suas inúmeras actividades revelou-se manifestamente insuficiente perante as novas tecnologias em que a tinta física é nitidamente ultrapassada pela virtual. Foi neste sentido que eu, Palmilha Direita, me lembrei de levar a ideia de criar este sítio ao grupo, numa conversa que, de tão marcante na vida do Teatro da Palmilha Dentada, cumpre que ora se torne pública:

Palmilha Direita – Olá!
Palmilha Esquerda – Que queres? Estou a trabalhar!
Palmilha Direita – Tenho uma ideia...
Palmilha Esquerda – Tu e as tuas ideias...
Palmilha Direita – Mas esta é brilhante!
Palmilha Esquerda – Já te disse: escreves as tuas ideias naquela lousa e eu, quando tiver tempo, vejo-as.
Palmilha Direita – A lousa está cheia.
Palmilha Esquerda – Tem dois metros. Não pode estar cheia!
Palmilha Direita – Está. Tenho muitas ideias.
Palmilha Esquerda – Diz lá então, mas sê rápido porque tenho muito que fazer.
Palmilha Direita – Acho que com os novos tempos, choque tecnológico e tal, não podemos mais fugir a uma questão... Estamos desactualizados.
Palmilha Esquerda – Que queres dizer?
Palmilha Direita – Não temos um espaço de escrita livre digno.
Palmilha Esquerda – Temos uma lousa de dois metros.
Palmilha Direita – Não é isso! Precisamos de algo mais! Já não chega a rádio ou o Teatro. Temos de chegar a outro público. O público virtual.
Palmilha Esquerda – Hmmm....
Palmilha Direita – Temos de ter textos naquilo a que “eles” chamam de Internet!
Palmilha Esquerda – Num blog?
Palmilha Direita – Não! Num computador mesmo!

E foi esta a génese deste espaço que queremos de todos e para todos. Participem, com alegria e boa disposição! Boa?
Um bem hajam queridos leitores!

12 comentários:

Lia Ferreira disse...

ah, finalmente!
Ando há dias à espera!
beijos do tolice, caopessoa e linguanosdentes!

Pop-up disse...

Será político?
Será advogado?
Certo sabido é que, esta palmilha direita, tem blá blá.
Mas é preciso trazer a verdade à luz deste blog (e não venham com lusco fusco e tal, não sei quê, blá blá). Não sendo meu apanágio salientar os erros dos coabitantes, porém (sim, não estavam à espera que eu fosse ficar em silêncio perante algumas patranhas do auto-intitulado génio criador), cá vão alguns esclarecimentos.
A ver:

.1 Onde se lê
- “... Um pop-up é algo que não podemos evitar, é um ser indesejado…”
Deve ler-se
“. .. O pop-up é alguém que não queremos evitar, é um ser in, desejado…”

.2 In:
fashionable or popular, cool, the hype!
Desejado:
almejado, aquele por quem se anseia.em suma, D. Pop-up!

.3 Nem eu sou proprietário, nem o espaço é do outro.

Quanto às ideias brilhantes, o Abat-jour (sim, porque “abajur” é vocábulo de castas menores. vamos manter o nível! Chic c’est chic!) sou eu. Que de tão brilhante tenho de usar um quebra-luz para não ofuscar (fig.) os demais.


Nos termos da lei em vigor apresento de seguida o contraditório do diálogo incluso.

Pop-up – Palmilha Direita (PD) tive uma ideia.
PD enquanto tragava de um recém chegado copo de cevada fermentada
Palmilha Direita – hum hum.
Pop-up – A sério. Ouve lá…
PD solta um longo e profundo suspiro denotando falta de paciência.
Pop-up – E se a malta criasse um blog?
PD, incrédulo, pousa o copo de fino. Usa as mangas da camisa para eliminar os bigodes brancos. De sobrolho franzido, cabeça enterrada entre ombros, sussurra.
Palmilha Direita – Um blog!?
Pop-up – ya, um blog!
Palmilha Direita – Já ouvi falar. O pessoal lá do escritório tem falado dessa coisa.
Pop-up – ah!?
Palmilha Direita - Faz-se com os computadores, né?
Pop-up – Sim, sim… com os computadores. Eh pá, os tempos são outros! Novas tecnologias, internet, mobilidade, temos de levar a Palmilha a mais e novos públicos. Novos espaços. Virtuais! ‘tás a ver?
Palmilha Direita – Pois…
Pop-up – Até já pensei no nome. A Dentada da Palmilha.
Palmilha Direita – Hum. Tu já falaste dessa tua ideia a mais alguém?
Pop-up – Não.
Palmilha Direita – Pop-up, esquece. A Palmilha Esquerda vai esgargalhar-se com apodioxe!
Pop-up levanta-se, atarantado com as palavras proferidas. Ruma ao balcão do café e pede um shot de bagaceira velha.
Pop-up – O habitual. Envelhecido em casca, carvalho. Duplo!
No final do trago único exclama ao taberneiro.
Pop-up – Outro!
Enquanto isso, Palmilha Direita dirigia-se à outra ponta da sala, onde Palmilha Esquerda observava os demais frequentadores do espaço. Senta-se à mesa.
O que lá se passou já todos ficámos a saber.
O certo é que agora a Palmilha Dentada tem um blog.

Lia Ferreira disse...

uau!

mãos disse...

LOL

Xoni disse...

brilhante,pop up... brilhante!!!

Fabulosa Marquise disse...

As vossas trocas de mimos são inacreditavelmente dotadas de um vocabulário extremamente bem conseguido. Muito bem! Continuem o bom trabalho! Só gostava que falassem assim na vida real, meus brejeiros!!!

Santa Ignorância disse...

Se pelo menos a paz reinasse entre os homens... O blog nasceu agora e já a discordia estende os seus tentáculos. Não vos desvieis do caminho do senhor.(por muito turtuoso que ele seja)

ricardo leite disse...

são relatos de extrema sinceridade, os proferidos por pop-up. Pode efectivamente dizer-se que até parece que uma luz santa, ofuscante inrrompeu pela mente vetada ao abandono, de inteligência de pop-up e que (reforçando a dúvida com um pelos vistos)o dotou da capacidade de fazer algo minimamente inteligente com requintes, quissá, de malvadez dirigidos á Palmilha Direita.
Pena é que para quem conhece pop-up, pessoalmente, tudo isto se trata nitidamente de um embuste muito bem escrito por outrem que não o acima referido, pop-up, dado que as palavras mais inteligentes que o ouvi proferir foram:
"pha eu pago-te o fino!"

Tenho dito!

Pop-up disse...

Jovenzinho,
além de disfunção bipolar sofro também de transtorno de múltipla personalidade (dupla personalidade).
Que entediante é, olhar-se para alguém, falar meia (ou mesmo uma) dúzia de vezes e crer que se o conhece, que se lhe vê a alma escarrapachada (sem qualquer significado brejeiro!).
Quando jogas (o uso da 2ª pessoa do singular não é uma referência à tua pessoa. Tão somente uma forma generalizada de colocar a questão. Termos futebolísticos com os quais estarás familiarizado) o dia-a-dia, como em qualquer outro jogo de cartas, não deves mostrar os trunfos (não confundir com triunfos. Triunfos? Triunfos não são só aquelas medalhas, taças ou mesmo uns rolinhos de papel trimbrado com a chancela de uma qualquer instituição de ensino duvidoso).
Há que ter cartas na manga ou mesmo recorrer ao famigerado “bluff”.
Mas há outras formas de jogar!
Há quem jogue sujo!
É sujo que queres jogar?

Quanto aos finos… é muito feio andar a ouvir as conversas dos outros!!!!
Shame on you, mister. Shame on you!

ricardo leite disse...

pois. eu concordo e n podia deixar de prestar a minha homenagem á parte consciente e deveras inteligebte da tua dupla personalidade.
se n queres jogar sujo, lava-te...

tenho dito !

Le disse...

Este tempo de trocas de mimos fazem-me bem às coxas!

Por falar em mimos, não será o pop up um mero mimo, mas com um abat-jour na cabeça? Ou, por outras paravras, um mimo com um penteado fashionable (ou in)?

Anónimo disse...

necessario verificar:)