28/09/2006

Pelo Porto - Juntos no Rivoli


No Porto está a ser constituído um movimento de cidadãos preocupados com o actual momento da vida da cidade, em especial com a anuncia privatização do Rivoli-Teatro Municipal, rejeitando completamente os pressupostos do concurso anunciado, recusamos qualquer solução que passe por uma desresponsabilização da Câmara Municipal dos seus deveres para com os seus munícipes e que ao abrigo de argumentos puramente contabilísticos entregue a privados, para uma lógica de funcionamento privado, o que foi comprado e recuperado com fundos públicos.

Porque mais do que gritar ou sussurrar indignações, é fundamental reflectir em conjunto sobre as necessidades da cidade e sobre o que pode ser feito para inverter a actual perda de importância e qualidade de vida na cidade é necessário um convergir de vontades para a presentação de uma proposta de solução alternativa à privatização do Teatro Municipal.

A primeira iniciativa pública deste movimento constituirá numa acção de rua para continuação da recolha de assinaturas da petição criada na página www.juntosnorivoli.com de forma a ultrapassar as 10.000 adesões e para preparar a entrega formal desta à Assembleia Municipal do Porto.
Esta decorrerá no próximo sábado dia 30 de Setembro entre as 11h00 e as 13h00 na Rua de Santa Catarina junto ao Café Majestic.

Todos os que queiram apoiar e contribuir para este movimento podem faze-lo através do email juntosnorivoli@gmail.com

Ricardo Alves


Pelo Porto – Juntos no Rivoli

Porquê:

Porque a cultura representa a identidade de um povo
Porque a cultura estrutura uma sociedade democrática
Porque a cultura constrói sociedades mais produtivas e criativas
Porque a cultura tem benefícios económicos directos e indirectos

Porque estivemos demasiado tempo de braços cruzados
Porque a cidadania passa por todos nós – cidadãos – e como tal responsáveis.
Porque assistimos a um desmantelar de investimentos avultados e difíceis de realizar no curto-prazo
Porque somos cidadãos do Porto

Porque queremos um Porto mais democrático
Porque queremos uma cidade de relevância nacional e internacional
Porque queremos um Porto de oportunidades
Porque queremos um Porto capaz de reter os seus valores

Porque não podemos permitir que a cidade perca o seu futuro em estratégias sem norte, desejo ou ambição.

Porque é preciso não deixar que as medidas que afectam todos sejam tomadas à socapa, para assim impedir que as vozes se levantem (em oposição ou defesa…)

Porque temos massa crítica para o fazer

Queremos:

Repensar a cidade
Envolver toda a sociedade civil
Intervenções que estruturem o médio e longo prazo
Ter uma voz activa no desenvolvimento do Porto e do seu posicionamento

Queremos debater o Rivoli, o seu futuro, o destino do teatro municipal, que deve ser de todos.
Recusamos um concurso que apenas serve para entregar à lógica de privados o que foi comprado e recuperado com dinheiros públicos.
Defendemos a continuação do Rivoli, numa lógica de serviço público, como um instrumento de uma política cultural encarada como factor de desenvolvimento.
Queremos ajudar a encontrar alternativas para a gestão de uma política que sabemos ter recursos limitados mas que é um universo de oportunidades.
Vamos ser um espaço sistemático de observação critica da realidade cultural da cidade do Porto e da sua área metropolitana.
Propomos a reflexão e a participação de todos na construção de uma solução alternativa que defenda os interesses do Porto.

Pelo Porto – Juntos no Rivoli


Os subscritores

Alberto Magno; Alexandra Gandra; Ana Morais; Belmiro Magalhães; Carla Lopes; Carla Miranda; Carlos Azevedo; Carlos Romero; Carlos Tê; Dalila Carmo; Dario Oliveira; David Pontes; Fausto Neves; Francisco Alves; Francisco Beja; Helena Maia; João Teixeira Lopes; João Viana Jorge; José Carretas; Júlio Moreira; Luís Costa; Manuel Leitão; Maria João Machado; Miguel Bandeira; Miguel Guedes; Miguel Santos Henriques; Miguel von Haff Perez; Milice Ribeiro dos Santos; Nuno Grande; Pedro Bacelar de Vasconcelos; Pedro Guedes; Pedro Guedes de Oliveira; Pedro Pombo; Raul Constante Pereira; Ricardo Alves; Roberto Machado; Rui Encarnação; Rui Sá; Sérgio Teixeira; Soares da Luz; Teresa Vaz; Vera Santos.


3 comentários:

Anónimo disse...

Eu subscrevo. F. S.

joaninha voavoa disse...

Acabou-se a "mama" destes senhores subsídio-dependentes! Viva!
Esses elitistas que vão trabalhar, mas trabalhar mesmo, não é só angariar "tachos".
Desde a recuperação do Rivoli, a programação era feita de/e para estes senhores e seus amigos. Tanta intelectualidade inalcansável para a maioria dos mortais... Mesmo quando ia assistir, sentia-me muito mal, tal era o "clube".
Não sei se o Rui Rio está certo, mas assim é que não podia continuar.
Disfarçam muito mal para as coberturas notíciosas a tentarem fazer de conta que os actores e os espectadores se barricaram... Que espectadores? Só os actores e os seus amigos. A porta-voz, supostamente espectadora, a meio engana-se e começa a falar em nome dos actores. Já não conseguindo disfarçar mais, deixa de fazer de conta. Assumam! Ficam mais credíveis!
E falta questionar porque é que esta manifestação se realiza depois do fim-de-semana... Primeiro fizeram a exibição da sua peça, depois foram curtir a noite e à hora em que toda a gente inicia a semana de trabalho, e como estes senhores ficam sem nada que fazer, é que se viram para as manifestações.
O seu maior castigo vai ser ninguém lhes ligar nenhuma...
E nem pensem em comparar-se à causa do Coliseu!

Anónimo disse...

o que eu estava procurando, obrigado